terça-feira, 20 de agosto de 2013




Primeiramente, gostaria de pedir desculpas pelo meu desaparecimento repentino e dizer que isso só aconteceu porque adoeci de forma grave, fui internado no hospital no dia 02/08,onde passei pela área vermelha, CTI e enfermaria, e de onde só recebi alta ontem, dia 19/08, completando 18 dias de internação. Em segundo lugar gostaria de relatar (sem muitos detalhes para não ficar massante,já que HÁ MUITA história) o que houve comigo, para depois disso voltar as atividades normais (talvez nem tanto já que agora meu tempo na frente desse aparelho vai ser limitado, uma vez que, terei que usar óculos e até eu fazer exame, escolher e ele chegar pode ser que não dê para cumprir minha promessa feita no dia do meu aniversário de posts todos os dias) mas de qualquer forma, a agenda antiga será mantida nesse meio tempo!Então vamos lá!
Tudo começou alguns dias antes do meu aniversário quando eu senti, subitamente, muito enjoo estomacal, dor de cabeça, dor nos olhos, tontura e tudo de ruim , cheguei até a postar sobre meu estado aqui no blog. Comentei com a minha mãe sobre médico, mas por fim eu escolhi não ir. Melhorei subitamente.
Passaram-se alguns dias e deu o dia do meu aniversário. Eu estava super bem e como não curto muito festas nem coisas do tipo acabei indo no Mizuki (restaurante local de comida japonesa) com a minha prima Hayra e foi super agradável. No outro dia teve mudança na casa dela e eu estava lá e fui ajudar. Comecei a sentir os sintomas novamente. Deitei o resto do dia passando mal e tomando alguns remédios.Fiquei mais um dia nessa, acredito e no outro a dor estava insuportável e eu apresentava 41 graus de febre, foi quando liguei para minha mãe e implorei para ela me levar ao médico. Ela me levou a uma clinica do nosso plano APPAE (de professores, UMA BOSTA!) e eu tive que esperar do lado de fora da clínica por 3 HORAS até o médico chegar. Chegou. Me internou no seu pequeno ''internatório'' e constatou que meus leucócitos estavam altos demais (22.000). Indicou para que minha mãe me levasse ao Azevedo Lima (onde fiquei internado) porque estava correndo muito risco. Fui. Cheguei lá sem andar e sem enxergar um palmo na minha frente-coisas que me lembro-. Escuridão. Acordei em um leito em uma sala com um enorme desejo de beber água e não tinha. Fiz de tudo para beber uma garrafinha de  álcool que tinha por perto (estava começando a delirar), álcool, álcool, eu só queria matar minha sede (leucócitos 30.000). Outro apagão. Acordei no CTI, amarrado, de cabelo cortado, sem piercing,com fios em tudo quanto é lugar e sem ninguém acordado além de mim - nesse meio tempo entre o ultimo apagão e eu acordar no CTI, pelo que me foi dito, eu : Tentei arrancar meu piercing puxando, tentei arrancar meu cabelo puxando, tentei bater na minha mãe, falava coisas sem sentido, entre outras situações que não são de bom tom escrever num blog de respeito como esse (oi?HAHA). Conforme os médicos foram chegando para fazer os rotineiros exames de sangue e os milhares mais, uma paciente acordou, Regina era seu nome, e se houve algo de bom nesses dias todos no CTI foi por causa dela. Sempre divertida, bem humorada, companheira ela me fez tão bem que acho que ninguém tem noção! Lá você fica sozinho, com luzes brancas e fortes 24 HORAS na sua cara, um ar condicionado glacial ligado todo o tempo, sem ter noção se é dia ou se é noite, sem receber um raiozinho de Sol! Além de tudo, a visita dura apenas 30 min (no máximo 1h e no dia dos plantões dos médicos legais 2h, mas só vi isso uma vez também) então você se sente muito sozinho, muito sem amor, mesmo. Não havia um dia lá que passava sem eu chorar por saudades da minha família, dos meus amigos, de vocês... É uma experiência que eu não desejo a ninguém, mas apesar de tudo, dá para refletir sobre muitas coisas, quem é quem, suas atitudes, sua vida e isso foi um ponto positivo, já que, por mais que eu goste de fazer uma reflexão, na nossa casa, com tantas distrações e entretenimento, a gente nunca PARA MESMO,sabe?
Os dias foram passando e com Regina lá eram até que suportáveis. Todos os dias eu me sentia melhor e conseguia fazer algo diferente e todos os dias eu pedia ao médico para ou me darem alta ou para me transferirem para a enfermaria, onde minha família poderia ficar comigo e eu poderia levar eletrônicos (no CTI não podia NADA! Não sei nem como pude ficar com meus livros e revistas lá). Depois de dias e dias de insistência eles me transferiram para a enfermaria. Mais um chororô, né? HHSH E para lá eu fui com um misto de saudades, por ter que deixar minha grande amiga Regina; Medo, porque na ala masculina da enfermaria (para onde fui transferido) tinham muitos bandidos que tomavam tiro e eram internados lá e ficavam algemados à cama, além de pacientes psiquiátricos que se soltavam das gases e ficavam andando pelados até a escassa equipe de enfermeiros conseguisse pendre-lo (esse caso específico aconteceu no meu quarto) entre outras loucuras que só vemos em hospital público mesmo e felicidade por poder estar com a minha mãe e todos que amo por MUITO mais tempo de agora para frente!
Na enfermaria eu também dei sorte por ficar do lado da janela, numa sala que só tinha gente legal (com exceção desse paciente psiquiátrico que, aliás, foi parar lá porque COMEU VIDRO! Mas ele só ficou lá por meio dia. Ainda bem!), minha mãe conseguiu autorização para poder ficar ao meu lado dia e noite - o que foi DIVINO- e os dias lá foram até agradáveis na medida do possível.

Sobre as condições do hospital:
Os funcionários, em todas as seções que passei, são ótimos! Muito simpáticos, atenciosos, competentes e me trataram super bem. Óbvio que tem uns que são mais queridos que outros, que sorriem mais que outros, que a gente vê que são mais simpáticos e amáveis que os outros, mas em geral, a grande maioria é bem legal. As condições físicas do local são bem contrastantes, uma vez que, no térreo , CTI e salas de exames o hospital parece outro. Tudo equipado, tudo limpinho, tudo bem cuidado ai quando você chega na enfermaria e vê aquelas paredes verdes descascadas, vê os corredores e quartos fedidos, vê as janelas, que apesar de bonitinhas ,estão antigas e deterioradas, vê a falta de segurança você se sente em outro lugar! A empresa que faz as refeições lá é uma velha conhecida minha, já que é a mesma que fazia a comida na escola que estudei no Ensino Médio, então as reclamações eram constantes e totalmente embasadas.
O diagnóstico? Nem eu, nem os médicos sabem. Tudo que se sabe é que peguei um microrganismo que se instalou no meu corpo e sem saber o que combater ,exatamente, eles me deram antibióticos para TUDO, desde leptospirose até meningite e algo deu certo!

E se for para dizer o que eu aprendi com essa experiencia, eu te digo que foi mais do que até eu possa imaginar. Não me sinto mais o mesmo. Quando você é retirado tão repentinamente, tão agressivamente, tão brutalmente de tudo o que você ama e por tanto tempo (por mais que para quem estava aqui fora não pareceu, para quem estava lá foi uma eternidade) você começa a valorizar mais tudo isso, quem ama você, perdoa as coisas mais facilmente (como passei a dizer depois disso tudo : não guardo nem doença vou guardar rancor?), observa e ama as pequenas coisas e AGE, a vida é muito curta para não fazê-lo. Eu estava muito apático em relação a vida. Eu respirava mas não vivia e espero NUNCA mais voltar ao que era antes! Parece filosofia clichê mas, as vezes, até os clichês são válidos.
Bem, isso foi o que aconteceu comigo! Espero que compreendam minha ausência e que se cuidem para ninguém passar por isso, façam exercícios, se alimentem de forma saudável e sempre tenham o acompanhamento de um médico, porque EU VOU ! Quem sabe eu não crio uma seção aqui no blog destinada a isso? :3

Beijosmil <3









Tagged:

9 comentários:

  1. um pedaço da minha alegria voltou! o sol! o arco iris! o brilho, você está aqui ♥

    ResponderExcluir
  2. awwwwwwwwwwwwwn sua linda <333333 você me completa! to morrendo de saudades <3 <3 <3 <3

    ResponderExcluir
  3. Ai, como você é lindo mimimimi Poxa, eu não sabia que no cti você já estava acordado, se não teria ido te visitar lá com certeza! Lucas e eu ficamos muito preocupados, até o pessoal do meu trabalho ficou perguntando por você! Estamos todos muito felizes que você está bem e teve alta, tudo de bom :3333

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AWWNN obrigado gabi por toda a força! :333 Logo logo estaremos partyando -de leve haha- novamente hihi

      Excluir
  4. Lindo da minha vida <3

    ResponderExcluir
  5. Foi muito chocante chegar de viagem e saber que você estava mal e ao mesmo tempo sem entender o que estava acontecendo... Mas isso não importa agora, afinal você esta bem e inteirinho do jeito que eu te vi da ultima vez ( ainda bem <3 ).

    Mt mt mt mt saudades Guerra. Louca pra te ver e te dar um enormeeeeeeeee abraço de ursaaa HAHAHHAHA.

    OBS: Sei que eu sou bem distante e que te conheço a pouco tempo e tbm convivo pouco com você, mas te adoro muitaãão. Pode ter certeza disso.

    Enfim, se cuida seu divo lindo maravilhoso gostoso cheiroso TDB hahaha <3



    Bjs, Renata de Barros <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem essa de pouca convivência não, fia haha! Amizade de verdade a gente vê de cara e eu considero você uma dessas!Obrigado por tudo e também estou morrendo de saudades sua rosalinda <333333

      Excluir
  6. Todos os dias eu ficava olhando suas postagens aqui, pois quando as lia, sentia um parte de você presente aqui, mesmo você estando tão longe... TE AMO !

    ResponderExcluir